Fazendas

Fazenda Capim Seco

Fazenda Capim Seco

A fazenda Capim Seco é gerenciada por Ciro Dias Pereira. No passado, Rafael Dias Pereira cuidou desta fazenda, mas ele preferiu focar mais cuidando de outra das suas paixões, cavalos e Ciro, o irmão mais novo, assumiu a fazenda.

Fazenda Chapada

Fazenda Chapada

Antes de ser cafeicultor, Marcus foi jogador de futebol profissional no Brasil e chegou a jogar em grandes clubes da primeira divisão. Aposentado, se dedicou ao ramo da cafeicultura e fez parte dos primeiros passos do desenvolvimento dos cafés especiais em Carmo de Minas.

Fazenda Conquista

Fazenda Conquista

João Silva Campos é um homem que aprendeu tudo sozinho. Trabalhando como “boia-fria” desde os 10 anos de idade, ele comprou um pequeno pedaço de terra em 1970, quando tinha dezenove anos, com o pouco que ganhou de seu trabalho duro.

Fazenda do Engenho

Fazenda do Engenho

José Ronaldo é a terceira geração de uma família de produtores de café da fazenda. Adquirida em 1954 por seu avô, Ciro Carneiro, a fazenda desde cedo teve alta produtividade e bons resultados no manejo da lavoura. Em 1961, a fazenda passou para o pai de José Ronaldo, Francisco Dias de Castro, conhecido como Chico do Engenho.

Fazenda Furnas

Fazenda Furnas

A Fazenda Furnas é um expoente de qualidade na região. Foi uma das primeiras a investir em processos de qualidade e realizar experimentos em processos. Sobre administração de Rinaldo de Castro Junqueira, que já foi presidente da cooperativa local de produtores, sempre investiu em qualidade e nos cuidados dos pós-colheita.

Fazenda IP

Fazenda IP

A Fazenda IP é uma das mais tradicionais na produção de cafés especiais do Sul de Minas. Sua história remete a década de 1960, quando Isidro Pereira, pai de Luiz Paulo Pereira, comprou as terras. E foi nessa parceria familiar que a história da fazenda foi construída.

Fazenda Irmãs Pereira

Fazenda Irmãs Pereira

O nome da fazenda deriva das irmãs Maria Rogéria Pereira e Maria Valéria Pereira. A fazenda Irmãs Pereira é um expoente de cafés de qualidade ao redor do mundo. Com processos inovadores, técnicas de gestão diferenciada e muito cuidado, os cafés tem alcançado altas pontuações ano após ano.

Fazenda Paraíso

Fazenda Paraíso

Em 2008, Antônio teve o primeiro contato com a CarmoCoffees, responsável por incentivá-lo a participar dos concursos de qualidade de cafés especiais. A partir deste momento, Antônio e sua família descobriram o real potencial da produção agrícola e dos cafés de qualidade.

Fazenda Santa Inês

Fazenda Santa Inês

Adquirida pelo Grupo Sertão em 1979 , a fazenda já possuía lavouras de café. Foi iniciada então a plantação de novas culturas. Também foram construídos novos terraços de concreto, lavadora, secadora e processadora. A área também dedicado à pecuária em gado Girolando.

Fazenda Santa Lúcia

Fazenda Santa Lúcia

Nos anos 1990, Hélcio fez parte do movimento que passou a buscar qualidade na região de Carmo de Minas, sendo um dos fundadores da Aprocam (Associação dos Produtores de Café da Região da Mantiqueira).

Fazenda Santuário Sul

Fazenda Santuário Sul

A fazenda santuário é um projeto que nasceu de um objetivo de estar à frente das tendências do mercado. Os cafés cultivados aqui são reflexos da obstinação de Luiz Paulo e seus sócios. Hoje, além das variedades tradicionais brasileiras (como Bourbon amarelo),

Fazenda Sertão

Fazenda Sertão

Modelo de produção de qualidade, a fazenda Sertão se destaca pela sua história de pioneirismo e inovação nos métodos de produção. Altamente premiada, a fazenda também representa toda a união de uma família em torno de um sonho que se tornou um grande objetivo: produzir cafés de qualidade diferenciada no mercado.

Fazenda Vale da Lua

Fazenda Vale da Lua

Tudo começou em 2006, quando Renato, um dos três irmãos Fantinato, decidiu comprar um pedaço de terra para produzir café. Hoje, ele e um dos outros irmãos, Luiz Carlos, são responsáveis pela propriedade e tem investido na produção de cafés de alta qualidade.

Sítio Cachoeirinha

Sítio Cachoeirinha

Cléber vem de uma família que produz cafés de qualidade na região há quatro gerações. O pai dele, o senhor José Moisés da Silva, foi quem introduziu Cléber ao plantio do café, assim como essa paixão havia sido passada do avó para o pai. Cléber cresceu no meio das pequenas lavouras da família e foi lá mesmo onde conheceu sua esposa, Sheila, e construiu sua vida.

Sítio Cocho Velho

Sítio Cocho Velho

Silvanei começou no negócio de café muito cedo em sua vida. Como muitos filhos de pequenos produtores, ele teve que ajudar seu pai a realizar as tarefas. Mas, no caso dele, as coisas começaram muito cedo, quando ele tinha apenas 7 anos de idade.

Sítio Santa Catarina

Sítio Santa Catarina

O sítio Santa Catarina é fruto da paixão de uma família pelo café. A história da produção começa na década de 1980 quando o avô de Sebastião Alexandre faleceu e deixou as terrar como herança para os filhos. Foram eles que começaram a plantação de café, em 1983.

Sítio São Joaquim

Sítio São Joaquim

Jesimar herdou a propriedade de seu avô, Vicente Garcia de Oliveira – que plantou as primeiras sementes de café no Sítio São Joaquim em 1953. Desde então, três gerações foram criadas pela renda gerada pelos cafés especiais.

Sítio Sr. Niquinho

Sítio Sr. Niquinho

Luiz Paulo é formado em Administração de Empresas e seguiu a carreira bancária antes de voltar para Carmo de Minas para trabalhar com sua família nas fazendas de café. De volta, Luiz percebeu como a promoção e comercialização dos cafés especiais poderia impactar toda a cadeia cafeeira da região.

Sítio da Pedra

Sítio da Pedra

A propriedade Pedra Branca pertence à família de Luciano há 45 anos, sempre adquirindo ano após ano mais alguns hectares de terra. O início do cultivo foi extremamente familiar, onde todos ajudavam e cuidavam da fazenda, sempre de maneira harmoniosa e respeitando o patriarca, seu avô José Braga de Oliveira.

Sítio Pedra Batista

Sítio Pedra Batista

A história da fazenda é muito familiar, e isso enche de orgulho o Sr. Renato Braga. Ela foi adquirida pelo tataravô da família no ano de 1940. Depois, passou para o bisavô da família, o avô, a mãe de Carlos Renato e o atual proprietário.